quinta-feira, 24 de março de 2011

.....................

"Não posso evitar o ódio que os meus pensamentos têm a acabar seja o que for; uma coisa simples suscita dez mil pensamentos, e destes dez mil pensamentos brotam dez mil interassociações, e não tenho força de vontade para os eliminar ou deter, nem para os reunir num só pensamento central em que se percam os pormenores sem importância mas a eles associados. Perpassam dentro de mim; não são pensamentos meus, mas sim pensamentos que passam através de mim. Não pondero, sonho; não estou inspirado, deliro. Sei pintar mas nunca pintei, sei compor música, mas nunca compus. Estranhas concepções em três artes, belos voos de imaginação acariciam-me o cérebro; mas deixo-os ali dormitar até que morrem, pois falta-me poder para lhes dar corpo, para os converter em coisas do mundo externo.

O meu carácter é tal que detesto o começo e o fim das coisas, pois são pontos definidos. Aflige-me a ideia de se encontrar uma solução para os mais altos, mais nobres, problemas da ciência, da filosofia; a ideia que algo possa ser determinado por Deus ou pelo mundo enche-me de horror. Que as coisas mais momentosas se concretizem, que um dia os homens venham todos a ser felizes, que se encontre uma solução para os males da sociedade, mesmo na sua concepção - enfurece-me. E, contudo, não sou mau nem cruel; sou louco, e isso duma forma difícil de conceber".

Fernando Pessoa

segunda-feira, 7 de março de 2011

Dor



Como as vezes ela pode ser tão forte?


As pessoas se acham muito espertas, muito perceptivas. Elas acham que conseguem decifrar a alma de outra pessoa apenas convivendo com ela. Mas isso não é verdade. Pouquíssimas são as pessoas que me conhecem bem, menos ainda são as pessoas que conhecem minha alma. Quando estou sofrendo, quando estou extremamente triste, é impressionante como ninguém percebe. Ajo normalmente e ninguém vê o que está acontecendo dentro de mim. Não sei se isso é bom ou ruim. Não sei se ser uma pessoa que guarda tanto os seus sentimentos quanto a mim é bom. Mas eu praticamente fui educada a ser assim. Cresci não querendo fazer sofrer as pessoas que eu amava, então sempre escondi o meu sofrimento para não machucá-las. Mas agora eu fico me perguntado se eu, sozinha, aguento tudo o que está pertubando o meu coração e gritando em minha mente. É possível alguém ser capaz de segurar uma dor tão forte dentro dela mesmo durante quanto tempo? É possível fingir que está tudo bem durante quanto tempo? Durante quanto tempo....