segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Somente um ponto de vista...

Um relacionamento para a mulher é igual a : DÚVIDA.

Os homens não se preocupam muito em cultivar um relacionamento, apenas na fase da conquista que eles procuram conhecer mais a mulher, depois que já estão juntos eles somente deixam rolar, não se preocupam em saber qual o tipo de relacionamento em que estão, se estão indo bem, o que pode fazer para melhorar, para eles enquanto estiver durando está bom. As mulheres são ao contrário, elas gostam de cuidar do relacionamento como se ele fosse uma plantinha que deve ser regada todos os dias, elas querem saber exatamente o tipo de relacionamento em que estão, se está tudo bem, o que elas podem fazer para torná-lo melhor, enfim... por isso que as vezes um relacionamento simplesmente acaba e a mulher nem se dá conta. O homem começa a dar várias desculpas para não vê-la e ela apenas fica sem saber o que está acontecendo. Por isso o relacionamento para a mulher é igual a dúvida, porque ela quer saber se está tudo bem, mas não tem o controle sobre isso, se ontem o homem disse que a ama, ela quer saber se hoje ele continua amando, mas nem tudo é tão claro assim, e mesmo se ele dizer que a continua amando, ela continua duvidando porque é muito mais difícil uma mulher confiar em um homem do que um homem confiar numa mulher.
[parg]Homens são mais imediatistas, e as mulheres ao contrário, são mais fixas. Quando acaba um relacionamento elas acham que o fracasso é delas, e não dividem a culpa com o companheiro. E isso também vem de nossa cultura, porque geralmente, até nos tempos que as mulheres eram obrigadas a casar e tudo mais, sempre quando o homem traía, quando o casamento ia mal, enfim, qualquer coisa que fizesse as coisas desandarem, era sempre a mulher a culpada. Se o homem traiu foi porque a mulher não o satisfez de forma completa, se o casamento estava indo mal, é porque a mulher que não estava se esforçando o bastante. Então até hoje temos muito dessa cultura de que tudo o que acontece em um relacionamento é por causa da mulher. É um peso muito grande que fica em nossos ombros, nem sempre agente aguenta, então acaba que nós mulheres ficamos com a fama de ser a mais "fraca" de ser a mais "chorona" e tantos outros adjetivos que tentam nos definir. Mas ao contrário, acho que somos muito fortes para aguentar isso em tantos relacionamentos que vivemos durante a vida e ainda no final talvez, conseguir se fixar em apenas um, fazer com que um deles dê certo. Mas isso realmente não depende só de nós, então... o que fazer é nada mais nada menos do que ser nós mesmas em tudo que vivermos.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Sofrer e Amar

Autora: Jéssica Laudares

Nada que possa me impedir agora
de ser completa no amor que me define
Quando chega ao fim as alegrias simplórias
o que começa é o que vale, no papel se imprime

A beleza do amor se encontra no sofrimento
quando o coração bate e parece que vai explodir
e olho em seus olhos, que mais belo contentamento
e dor que se sente quando não mais se está aqui

Por isso é que sofro e por isso que amo
mais vale ser infeliz no encanto
do que fingir ser alegre e não ter a quem adorar

Por tudo quanto oro, na verdade e no engano
Ser feliz neste amor cigano
Sofrer e morrer, sofrer e amar

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Viva sua vida agora!




[parg]Eu acho que a vida de adulto é mesmo muito complicada e cheia de compromissos, mas sabe que eu acho que ela é interessante o bastante ao ponto de valer a pena? Eu vejo tantas e tantas pessoas se lamentando e dizendo que queriam voltar a infância, sei lá, aproveitar melhor o que não viveu, mas pra quê? A infância realmente é uma fase linda, de aprendizado, nada de preocupações, chateações, problemas amorosos, mas e aí? Nessa fase que grande contribuição você pode dar para o mundo que não envolva apenas sentimentos bons nas pessoas? Quando digo contribuição estou me referindo ao meio científico, ao meio acadêmico, ao meio artístico, enfim, tudo que se refere a trabalho duro e estudo pesado. Pra mim a maior diferença que nós fazemos no mundo é agora, este é o momento de atitude, este é o momento de dar uma verdadeira contribuição, porque agora, pelo menos na teoria, temos mais consciência de nossa estada na Terra, de nossa existência perante toda a humanidade e o que podemos fazer para deixá-la melhor, ou não. O fato é pra quê perder tempo se lamentando por algo que já passou faz tempo e não aproveitar tudo o que temos na mão agora, todo o nosso poder de mudança?

[parg]Na infância somos cheios de limitações, além do pouco conhecimento, são várias as coisas que não podemos fazer sem autorização e isso acaba nos limitando muito. Eu lembro de algo que me deixava nervosíssima quando eu era menor que era o fato das pessoas olharem apenas a minha idade para declarar a minha maturidade e capacidade de entendimento e compreensão das coisas do mundo, isso me deixava doida porque eu sabia que apenas um número não diz o que você conhece, o que você compreende, mas sim toda a experiência que você viveu até esse mesmo número. Mas quando você é apenas uma criança ninguém ouve suas palavras, percebe que há algo atrás delas e tenta decifrá-las, quando você é criança, as pessoas acham que tudo o que você fala é superficial, é vazio, não tem nada por trás. Quando percebi isso na infância, deixei de falar. Passei a escrever. Na escrita qualquer um consegue expressar absolutamente tudo o que sente e da forma mais coerente o possível, claro que também depende da disposição e interpretação da pessoa que lê, mas é bem mais fácil ser entendido dessa forma, na escrita.
[parg]É claro que mesmo assim eu também não fui totalmente aceita, algumas pessoas não acreditaram que era eu quem escrevia os textos, mas enfim... Agora como adulta que sou, as pessoas me ouvem um pouquinho mais, não totalmente claro, já que os números de anos ainda pesam e os meus números são bem baixinhos ainda... Não que eu queira ficar mais velha rápido. O que eu queria é que as pessoas levassem isso em menos consideração. Um exemplo fantástico disso é a empresa na qual eu trabalho, que os funcionários são promovidos não por tempo de empresa, mas sim por produção, por resultados. Bem, na verdade o que eu quis dizer com esse texto todo é o seguinte: o tempo ideal, o tempo que devemos estar vivendo, é o tempo de agora. Não a infância, não a adolescência, não a meia idade, não a velhice. Mas o tempo que você está vivendo agora, seja ele qual for.

[parg]Nada de querer voltar, as possibilidades de agora são muito maiores. Porque é agora que você está vivendo, é agora que você tem o poder nas mãos. Você não tem o poder do passado, apenas do presente e é com ele que você constrói o futuro. Veja bem, o que eu mais acho interessante no filme Efeito Borboleta, é justamente o fato de um pequeno detalhe que o protagonista muda em sua vida a torna totalmente diferente, e eu acho que na vida de todos seria o mesmo, um pequeniníssimo detalhe mudaria o rumo de nossas vidas, então pra quê voltar atrás e mudar tudo o que você já conhece, tudo o que você construiu conscientemente? Você até poderia fazer outras escolhar que julgasse mais corretas do que as escolhas que fez, mas se você fizesse isso, acha que continuaria com a sabedoria que adquiriu com o seu erro? Você poderia ser uma pessoa totalmente diferente do que é, mas a probabilidade maior é de ser uma pessoa com menos sabedoria, pois não teria cometido erro algum, e é isso o que nos constrói, é isso que forma nosso caráter. Então como estamos na semana do ano novo, é esta a mensagem que eu quero deixar para todos: viva o momento. Viva ele AGORA.
[parg]Estou dizendo tudo isso porque sou uma pessoa apaixonada pela vida e não poderia ser diferente, pois ela é mesmo maravilhosa, tudo o que acontece, acontece no momento certo, na hora que deveria acontecer, como se ela já estivesse definida, mas na verdade quem a guia somos nós mesmos. Depende de nós sermos bons guias e traçarmos os caminhos certos.
Abraços.